AFILIAÇÕES
  • Pilotos Rebeldes,
  • Tropas Rebeldes,
  • Rebel Pathfinders (SpecForces),
  • Alliance High Command,
LOCAIS
  • Hoth,
  • Mon Cala,
  • Yavin 4,
  • Base Echo,
  • Rebel Massassi Outpost,
espécie
CRIATURA
  • Tauntaun,
VEÍCULOS
ARMAS
  • Ion Cannon,
  • DL-44 Blaster Pistol,
  • A280 Blaster Rifle,

HISTÓRIA //

QUEDA DA REPÚBLICA


As origens da Aliança Rebelde remontam às Guerras Clônicas, quando os Jedi ajudam a criar unidades de resistência em mundos dominados pelos separatistas. Ironicamente, Anakin Skywalker propõe esse plano ao Conselho Jedi e ajuda a criar essa milícia, treinando os combatentes da resistência em Onderon. A célula de Onderon, liderada por Steela e Saw Gerrera, luta contra o marionete separatista Sanjay Rash e seus exércitos de droides, acabando por derrotar Rash e devolvendo o trono ao rei Ramsis Dendup. Alguns desses movimentos de resistência continuam suas atividades depois que a vitoriosa República se torna o Império, embora isso aconteça anos antes dessas células se aglutinarem em uma Rebelião organizada com uma liderança central.


As origens da Rebelião também podem ser rastreadas às reuniões clandestinas dos Senadores que começam nos últimos dias da República. Senadores como Mon Mothma, Bail Organa e Padmé Amidala se reúnem secretamente em Coruscant, preocupados com os poderes em tempo de guerra acumulados pelo Supremo Chanceler Palpatine. Publicamente, esses senadores apoiam os esforços de levar Palpatine a renunciar a seus poderes de emergência. Em particular, eles começam os preparativos para um tempo em que a resistência pode ter que ir além de argumentos políticos no Senado, mas esse acabaria sendo um processo longo e extremamente difícil para unir aqueles que se opunham ao Império sob uma única bandeira. Mothma e Organa se tornam os principais líderes rebeldes, um manto também adotado pela filha adotiva de Bail, Leia.

OS TEMPOS DE ESCURIDÃO


À medida que o Império amplia seu domínio na galáxia, os movimentos de resistência florescem em vários mundos. Em sua maioria, esses movimentos são estritamente locais, determinados a libertar um planeta ou sistema estelar individual do jugo do Império. Tais movimentos correm o risco de ser ludibriados pelos agentes de inteligência do Império, Inquisidores e agentes, que lidam de modo implacável com qualquer sinal de resistência em maior escala. Um grupo de rebeldes, liderado pela pilota twi’lek Hera Syndulla, cresce no mundo da Orla Exterior de Lothal. O grupo de Syndulla, que também inclui o ex-Padawan Kanan Jarrus, o órfão sensível à força Ezra Bridger, a especialista em demolições mandaloriana Sabine Wren, o guerreiro Lasat Garazeb “Zeb” Orrellos e o droide Chopper trabalha para acabar com as operações imperiais em Lothal e em outros mundos da Orla Exterior, recebendo apoio de agentes operacionais como o misterioso Fulcrum. No devido tempo, sob a liderança de Bail Organa e Mon Mothma, esses grupos locais combinam seus esforços em uma Aliança plena, dedicada a superar Palpatine e restaurar a República.

GUERRA CIVIL GALÁCTICA


Conforme a Rebelião fica mais organizada e conquista o apoio do Senado Imperial, o Império tenta esmagar a resistência terminando a construção da Estrela da Morte, uma estação de batalha armada com poder de fogo suficiente para destruir todo um planeta. Espiões rebeldes roubam os planos da Estrela da Morte e os entregam à Princesa Leia Organa, uma Senadora Imperial e membro da Aliança. Darth Vader captura a espaçonave de Leia acima de Tatooine, mas a princesa esconde os planos nos bancos de memória de R2-D2.

Determinado a esmagar a Rebelião, o Grande Moff Tarkin demonstra o poder da Estrela da Morte incinerando a terra natal de Bail Organa, Alderaan. Ele permite que Leia escape, rastreando o caminho dela até a principal base rebelde na lua Yavin 4. Os rebeldes respondem com um plano desesperado, enviando esquadrões de caças estelares contra a estação de batalha. Antes de a Estrela da Morte destruir Yavin 4, Luke Skywalker usa a Força para guiar um torpedo de prótons até um duto de ventilação que leva ao reator principal da estação de batalha. A destruição da Estrela da Morte salva a Aliança e a semente da resistência começa a se espalhar entre os mundos do Império.


O Império contra-ataca com uma exibição impressionante de poderio militar, aniquilando brutalmente a dissidência e enviando suas naves de guerra pela galáxia em busca da nova base principal dos rebeldes. Depois que um droide de sondagem do Império descobre a Base Echo no planeta gelado Hoth, o General Rieekan da Aliança ordena uma evacuação imediata. A decisão rápida de Rieekan salva muitas vidas e impede um desastre, mas os rebeldes ainda sofrem uma derrota terrível. Maltratada, mas ainda não derrotada, a Aliança se reagrupa em um ponto de reunião predefinido, formando um comboio de naves de guerra no espaço em um esforço para se manter à frente dos caças imperiais.


Sob o comando de Mon Mothma e do Almirante Ackbar, a frota rebelde se reúne em Sullust para um ataque massivo à segunda Estrela da Morte, que está sendo construída acima da Lua Florestal de Endor. A Aliança descobre que o Imperador Palpatine está supervisionando esse novo projeto pessoalmente e arrisca um confronto na esperança de terminar a guerra com um golpe rápido. Mothma e Ackbar não sabem que Palpatine vazou a informação sobre a estação de batalha e sua presença a bordo dela. Sua armadilha quase é bem-sucedida: os rebeldes não têm o mesmo poder de fogo da frota imperial, muito menos da Estrela da Morte que está totalmente funcional nesse momento. Mas uma equipe de ataque liderada por Leia e Han Solo destrói o gerador de escudos que protege a Estrela da Morte, permitindo que Lando Calrissian e Wedge Antilles voem até a superestrutura para explodir o reator principal da estação.

Enquanto isso, Luke Skywalker consegue despertar o bem adormecido em Darth Vader. Vader mata Palpatine, um ato de sacrifício que deixa o Império sem liderança e acaba com o jugo Sith sobre a galáxia.