AFILIAÇÕES
LOCAIS
  • Serenno,
GÊNERO
  • Masculino,
DIMENSÕES
  • Altura: 1.93m ,
VEÍCULOS
  • Navegador Solar Geonosiano,
  • Count Dooku's Speeder,
FERRAMENTA
  • The Box,

HISTÓRIA //

QUEDA DA REPÚBLICA


Na primeira década do governo do Supremo Chanceler Palpatine, o Conde Dookan emerge como a face do movimento separatista, arregimentando sistemas para sua causa, embora alguns planetas, como o estrategicamente localizado mundo comercial de Eriadu, resistam às suas súplicas. Em Geonosis, ele conspira com outros líderes para construir um imenso exército de droides capaz de esmagar a República. No entanto, ele se surpreende ao descobrir que Obi-Wan Kenobi tinha chegado ao sistema em uma missão. Quando o Jedi é capturado, Dookan diz estar contente em se encontrar com ele — como antigo Mestre de Qui-Gon Jinn, Dookan só tinha ouvido elogios a Obi-Wan — e pede sua ajuda. O motivo para Dookan se juntar aos separatistas, diz, é que ele descobriu uma terrível verdade: um Lorde Sith chamado Darth Sidious está controlando o Senado. Com Obi-Wan a seu lado, eles poderiam destruir os Sith. "Eu nunca vou me associar a você, Dookan", diz o Jedi. Friamente, Dookan deixa Obi-Wan em sua cela.

Mais tarde, Dookan e os geonosianos planejam executar Obi-Wan, bem como Anakin Skywalker e Padmé Amidala, em sua enorme arena. Entretanto, os três mantêm à distância as bestas lançadas contra eles, o que dá aos Jedi e a seu novo exército de clones tempo para preparar um ataque. Isso marca o início das Guerras Clônicas, com ambos os lados sofrendo pesadas perdas.

Tentando escapar, Dookan dirige um speeder até um hangar próximo, mas é seguido por Obi-Wan e Anakin. O líder separatista ativa um sabre de luz com lâmina vermelha, evidência de que ele de fato ser tornou um Sith, e golpeia Anakin com um poderoso relâmpago da Força. Arrogante e ansioso por combate, ele provoca ambos, finalmente ferindo Obi-Wan e cortando o braço direito de Anakin. Prestes a executar o Jedi, Dookan para ao ouvir passos conhecidos: Yoda chegou. O Sith afirma ser mais poderoso que qualquer Jedi, mas Yoda absorve facilmente seu ataque de relâmpago da Força. "Muito a aprender você ainda tem". diz ele. Com isso, os dois travam um furioso duelo de sabres de luz, que termina com Dookan saindo às pressas. "Isto é só o início", alerta. O ex-Jedi foge do sistema e pousa em uma habitação não identificada em Coruscant, onde é acolhido pelo perverso Darth Sidious. "Tenho boas notícias, meu senhor", diz ele. "A guerra começou".


Dookan continua sendo a face do exército separatista, levando a guerra a planetas de toda a galáxia. Ele também busca minar a República com um fluxo contínuo de propaganda enviada pela rede de informações conhecida como HoloNet, um esforço que é enfrentado pelos oficiais da República, como Wilhuff Tarkin. Em várias ocasiões durante as Guerras Clônicas, ele duela com Anakin Skywalker e Obi-Wan Kenobi, sempre fazendo a vontade de Darth Sidious. Nessa época, Dookan recebe uma aprendiz chamada Asajj Ventress. Ele a treina nos métodos do lado sombrio e a usa como assassina. Quando Sidious acha que ela não tem mais valor, Dookan a abandona. Ventress, contudo, quer vingança. Conspirando com Mãe Talzin, ela manda Savage Opress se tornar o novo aprendiz de Dookan. O plano verdadeiro, entretanto, é que Ventress e Opress matem Dookan. Não era para acontecer, já que o Lorde Sith é muito poderoso com o lado sombrio e sobrevive ao ataque.


Embora Dookan seja o líder do movimento separatista, mais tarde descobre-se que seu envolvimento nas origens das Guerras Clônicas é muito mais profundo. Com uma nova prova sobre a morte de Zaifo-Vias, o Jedi que supostamente ordenou a criação do exército de clones, Obi-Wan Kenobi e Anakin Skywalker visitam o Sindicato dos Pykes em Oba Diah. Eles descobrem que os Pykes foram contratados por um homem chamado Tyranus para matar o Jedi, mas secretamente a família do crime mantém vivo o companheiro dele, Silman. Obi-Wan e Anakin começam a falar com o prisioneiro, mas ele logo é sufocado com a Força por um agressor não percebido: o Conde Dookan chega, enviado por Darth Sidious para resolver todas as pendências ligadas à morte de Zaifo-Vias. Lom, líder dos Pykes, chama Dookan por seu nome Sith, revelando aos Jedi a perturbadora verdade por trás do mistério do exército de clones. Dookan, ou Darth Tyranus, foge, e a única opção dos Jedi é continuar a fazer o jogo do Sith.


Em um movimento ousado, o General Grievous e o Conde Dookan raptam o Supremo Chanceler Palpatine em Coruscant. Isso provoca a batalha de Coruscant, em que o exército de clones da República e as forças militares separatistas se confrontam na estratosfera do planeta-cidade. Na tempestuosa batalha, Anakin Skywalker e Obi-Wan Kenobi pilotam seus caças estelares Jedi até a nave pessoal de Grievous, na esperança de resgatar o chanceler. Embarcando no imenso cruzador, eles se encaminham à torre da nave e encontram Palpatine amarrado a uma cadeira. Dookan aparece, enfrentando os dois Jedi ao mesmo tempo. Ele primeiro derrota Obi-Wan, estrangulando-o com a Força, e quase esmaga o Mestre Jedi com uma pesada grade. Um irado Anakin continua a luta, demonstrando uma força que Dookan não tinha previsto. O jovem Jedi decepa as mãos do Lorde Sith, toma o sabre de luz de Dookan, e o líder separatista cai de joelhos. Enquanto Anakin decide o que fazer, Palpatine o encoraja a destruir Dookan. "Mate-o agora", ordena Palpatine. Dookan olha incrédulo para o chanceler e então olha para Anakin. Sua expressão revela que ele começa a entender o que está para ocorrer, mas este é só um momento fugaz: com um rápido movimento, Anakin decapita Dookan.

Itens relacionados //