AFILIAÇÕES
GÊNERO
  • Masculino,
DIMENSÕES
  • Altura: 1.92m ,
ARMAS
VEÍCULOS
  • Caça Estelar Jedi,

HISTÓRIA //

QUEDA DA REPÚBLICA


Nos últimos anos da República, Mace Windu sente estranhas correntes em atuação na Força. Campeão Jedi há tempos, ele visa manter as antigas tradições da Ordem em meio à inquietação galáctica e à corrupção política. Nunca paciente com aqueles que desobedecem o Conselho Jedi, Mace duvida da crença do Jedi dissidente Qui-Gon Jinn de que os antigos Sith retornaram. Qui-Gon está certo sobre os Sith e morre em combate com Darth Maul que, por sua vez, é derrotado por Obi-Wan Kenobi. No funeral de Qui-Gon, Mace e seu velho amigo Yoda ponderam sobre uma questão infeliz: Maul havia sido o Mestre Sith ou o aprendiz?


Mace também faz pouco da insistência de Qui-Gon em afirmar que o jovem Anakin Skywalker é o Escolhido segundo a profecia Jedi. Anakin mostra grande habilidade com a Força, mas Mace nega o pedido de Qui-Gon para treinar o garoto. Mace acredita que Anakin já está muito velho para se dedicar à Força sem ser distraído pelos seus vínculos emocionais. Mace nunca para de duvidar do jovem Skywalker e sua desconfiança mal disfarçada lança uma sombra sobre o relacionamento dos dois, conforme Anakin galga os degraus da Ordem Jedi.


À medida que a crise Separatista toma conta da galáxia, Mace avisa o Chanceler Palpatine que há muito poucos Jedi para defender a República em caso de guerra. A experiência de Mace o deixa cego à ameaça de crescimento representada pelo líder Separatista Conde Dookan: ele se recusa a acreditar que um ex-Jedi como Dookan teria inclinação para assassinar senadores como Padmé Amidala. Mas Mace ouve os avisos de Yoda de que o lado sombrio da Força está por trás dos problemas da galáxia. E ele não pode ignorar outros desdobramentos perigosos, como a revelação de que alguém havia contratado os misteriosos kaminoanos para criar um exército de clones para a República.


Quando os geonosianos, aliados dos separatistas, capturam Obi-Wan, Anakin e Padmé, é chegada a hora de reagir. Mace lidera um grupo de assalto dos Jedi para Geonosis, enfrentando Dookan e seus droides na arena de gladiadores do planeta. Mace derrota o caçador de recompensas Jango Fett, mas as hordas separatistas superam suas forças. Mace recusa-se a se render e só a chegada de Yoda e do exército de clones impede sua morte na batalha. A fuga de Mace representa pouco consolo para ele, pois a galáxia agora está em guerra, e os Jedi são obrigados a assumir o papel de generais, que é perigoso e pouco familiar para eles.



Durante as Guerras Clônicas, as investidas de Mace no campo de batalha mostram por que ele conquistou sua fama de guerreiro. Durante a campanha da república para a retomada de Ryloth, ele lidera os soldados clones no ataque à cidade de Lessu e captura pessoalmente Wat Tambor, o emir separatista que saquearia o planeta. Apesar de famoso por sua política antipática, ele se mostra um diplomata habilidoso, promovendo um acordo entre o twi’lek Cham Syndulla, que luta pela liberdade, e o Senador corrupto do planeta Orn Free Taa.


Mace passa grande parte das Guerras Clônicas em Coruscant, orientando os Jedi em sua função perigosa de líderes em tempos de guerra. Mace é rápido em punir os Jedi que não seguem ordens, designando Padawans rebeldes, como Ahsoka Tano, a tarefas cotidianas que lhes permitem refletir sobre seus erros. Mace protege zelosamente a independência dos Jedi contra interferência externa e busca preservar os valores Jedi ao lidar com os militares e os políticos. Ele se opõe aos dugs de Malastare quando eles decidem matar a antiga criatura conhecida como fera Zillo, e condena a decisão de Palpatine de levar a poderosa fera até Coruscant para estudo científico. Conforme o desenrolar da guerra, Mace desconfia cada vez mais de Palpatine, embora ele nunca descubra que o Supremo Chanceler seja, de fato, o Lorde Sith Darth Sidious.


Mace fica incomodado com o pedido de Palpatine de tornar Anakin seu representante no Conselho Jedi, avisando os outros Mestres Jedi que era perigoso associar o Supremo Chanceler com o poderoso e impetuoso jovem Jedi. Ele concorda que, se Palpatine não renunciar a seus poderes de tempo de guerra após a morte do separatista General Grievous, os Jedi devem retirar o Supremo Chanceler do gabinete assumir o controle do Senado.


Quando Anakin descobre que Palpatine é o Lorde Sith Darth Sidious, Mace sabe que o futuro da Ordem Jedi corre grande perigo e tenta prender o Supremo Chanceler. Mace quer derrotar Sidious e ergue seu sabre de luz para derrotar o Lorde Sith, mas um desesperado Anakin acende sua própria arma e fere o antebraço de Mace. Logo depois, Sidious atinge Mace com um relâmpago da Força, mandando o grande campeão Jedi para a morte.

Itens relacionados //